O que é o halving do Bitcoin

Tempo de leitura: 3 minutos

Entre os diversos fatores que tornam o Bitcoin tão famoso e inovador, se destaca a sua característica como um bem digital escasso. A cada 210.000 novos blocos, são gerados 50BTC, porém, a cada 4 anos esse valor cai pela metade em um fenômeno conhecido como halving que afeta o preço, a mineração e os tradings de Bitcoin.

Um exemplo disso está na crescente onda de especulações e em previsões de que o valor do Bitcoin possa atingir a casa dos US$14.000,00 durante o período próximo ao halving.

Continue a leitura e entenda mais sobre esse fenômeno tão aguardado pelos usuários de Bitcoin.

O que é o halving?

A cada quatro anos, um fenômeno conhecido como halving é responsável por “regular” a geração de Bitcoins, mantendo a escassez da plataforma, a qual não emitirá novas moedas 

quando atingir o número de 21 milhões de unidades BTC em circulação. Isso é parte de um protocolo do sistema Bitcoin para que dificulta o nível dos problemas da proof-of-work para que as moedas sejam mineradas de forma a corresponderem a uma métrica previsível e limitada. 

Relembrando o processo de mineração, sabe-se que os mineradores recebem uma recompensa por cada bloco válido minerado. No fenômeno halving, as recompensas da mineração são divididas ao meio. Para ilustrar, o primeiro halving aconteceu em 2012, quando a recompensa caiu de 50 para 25 Bitcoins por bloco minerado. Em 2016, o prêmio passou de 25 para 12,5 Bitcoins. 

Tudo isso para que, segundo o planejamento de Satoshi Nakamoto, os últimos Bitcoins sejam minerados em 2140.

Quais os impactos do halving?

Embora não seja uma regra, o mercado pode tender a precificar a redução pela metade da geração de moedas. Afinal, pela lógica de mercado de demanda e oferta, haverá menos moedas disponíveis para um número crescente de compradores, podendo causar oscilações, por vezes bruscas, no preço do Bitcoin, comportamento observado nos dois últimos halvings. 

Outro fator está relacionado diretamente com a questão da mineração. Minerar criptomoedas é uma atividade cara, que exige muito poder computacional e um alto gasto de energia. Embora existam atualmente “fazendas de mineração”, o custo continua em um patamar pouco acessível. Com o halving, a recompensa dos mineradores também é reduzida, podendo levar à diminuição da atividade de mineração, pois o valor da recompensa nem sempre é o suficiente para cobrir os custos de manter a atividade mineradora e ainda tirar algum lucro com ela. 

Como o halving afeta os investidores?

Um investidor que utiliza o Bitcoin em seu cotidiano ou para transações ao redor do globo não sofre as consequências diretas do halving e pode prosseguir normalmente com suas operações utilizando Bitcoin.

Porém, para especuladores que realizam trade visando a obtenção de lucro, o cenário é um pouco diferente. A relação entre oferta e demanda provocada pelo halving tende a ter grande peso nas operações desses traders. Pensando novamente em termos de mercado, há uma estabilidade de preços quando a oferta é proporcional à demanda. Da mesma forma, há uma baixa nos preços quando a demanda é estável, mas a oferta continua crescendo. 

No caso do halving o que pesa é a desproporção entre a oferta ea demanda por ele provocada, uma vez que a demanda continua crescendo, mas a oferta agora se torna menor, fazendo com que os preços subam. 

E você, tem algum palpite sobre quais serão as consequências do halving de 2020? Compartilhe com a gente.

Se sintonize com a contagem regressiva da Binance Academy para o Halving Bitcoin 2020.

Acompanhe nosso blog e descubra mais sobre os principais conceitos e novidades do mundo dos criptoativos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *