Infocoins – 13/08 a 19/08

Tempo de leitura: 5 minutos

ABCripto anuncia lançamento de Código de Autorregulação para criptoativos

No dia 13/08/2020 Associação Brasileira de Criptoeconomia (ABCripto) lançou o Código de Autorregulação para o setor de criptoativos no Brasil. A ABCripto reúne  as principais exchanges do país tal como Mercado Bitcoin, Foxbit, Ripio e diversas outras, as quais representam 80% do volume de transações de criptoativos no Brasil.

O Código de Autorregulação foi lançado durante uma live e o documento foi assinado pelas associadas da ABCripto utilizando tecnologia de blockchain através de uma ferramenta da empresa GrowthTech, que trabalha com soluções em blockchain para cartórios e para o mercado imobiliário.

Conforme fala de Safiri Felix à imprensa: “O objetivo do Código de Autorregulação é colaborar com o aperfeiçoamento das práticas operacionais por parte das empresas e com a adequação a padrões de compliance, ajudando a preencher a lacuna regulatória do setor e a aumentar os mecanismos de proteção ao usuário e a segurança jurídica A Autorregulação contribuirá para organizar o mercado, promover a cooperação plena dos associados com os órgãos competentes, aumentar a confiabilidade dos agentes do mercado e reduzir as assimetrias nas informações disponíveis para os usuários.”

O Código de Autorregulação está disponível para download no site oficial da ABCripto.

Fontes: ABCripto | Cointelegraph | MoneyTimes | Cointimes | Investing.com | Panorama Crypto

MIT e Federal Reserve Bank de Boston firmam parceria para estudo sobre criptomoedas

Nesta quinta-feira, 13/08/2020, o Instituto de Tecnologia de Massachussets (MIT) e o Federal Reserve Bank de Boston anunciaram uma parceria para iniciativa de pesquisa com foco em moedas digitais emitidas por bancos centrais (CBDCs)

A diretora do Federal Reserve, Lael Brainard, diretora do Federal Reserve, falou à imprensa que a parceria com o MIT seria para criar e testar uma CBDC hipotética e que o projeto explorará tecnologias novas, bem como novas possibilidades para aquelas que já existem. Brainard ainda ressalta que os aprendizados feitos durante a parceria entre o Federal Reserve e o MIT serão publicados, bem como os códigos desenvolvidos, que seriam divulgados como um software open source para ser utilizado por quem possuir interesse em testá-lo. 

Ela também comentou à mídia que: “Os objetivos da nossa pesquisa e experimentação entre o sistema do Federal Reserve são avaliar a segurança e a eficácia do sistema de criptoativos, informar nossa compreensão sobre a organização do setor privado e nos dar experiência prática para entender as oportunidades e limitações de possíveis tecnologias para formas digitais de dinheiro de banco central. Essas iniciativas se destinam a certificar que entendemos completamente o potencial, bem como os riscos associados e possíveis coincidências indesejáveis que novas tecnologias apresentam no setor de pagamentos.”

O Federal Reserve não tomou nenhuma decisão sobre lançar ou não uma criptomoeda própria. 

Fontes: Coindesk | The Block | MoneyTimes

China expande programa de testes de moeda digital 

No dia 14/08/2020 o Ministério do Comércio da China anunciou a expansão do programa de testes do Yuan Digital. Conforme comunicado oficial, o programa de testes será expandido para a maioria das cidades chinesas e regiões como Pequim, Tianjin, Hebei, Delta do Rio Yangtzé e Guangdong e também cidades vizinhas de Hong Kong e Macau.

Os testes ainda não possuem data de início definida, mas esta não é a primeira ação do Banco do Povo da China (PBoC), o banco central do país, em relação às criptomoedas.

Conforme noticiou o MoneyTimes, em abril de 2020, o banco central lançou um piloto para DC/EP (moedas digitais/pagamentos eletrônicos) e em julho de 2020, a empresa de transportes Didi também realizou uma parceria com o PBoC para testar a utilização do Yuan Digital em seu app.

Sobre a expansão do programa de testes, o Ministério do Comércio da China comenta à mídia que: “Em áreas-pilotos onde as condições permitirem o uso internacional do yuan, quando o software estiver pronto, será gradualmente expandido para todas as áreas-pilotos.”

Fontes: MoneyTimes | Decrypt | The Block | Cointelegraph | Guia do Bitcoin | Coindesk

MyEtherWallet integra plataformas DeFi Aave e Ren

Nesta semana a MyEtherWallet (MEW) anunciou o lançamento de novas integrações com as plataformas de finanças descentralizadas (DeFi) Ren e Aave. As integrações utilizam o protocolo MEWconnect criado para permitir que desenvolvedores de DApps (aplicações descentralizadas) possam disponibilizá-las para os usuários da MyEtherWallet

A MyEtherWallet, criada em 2015, foi uma das interfaces pioneiras para clientes do blockchain da Ethereum e se tornou essencial no processo de lançamento de ICOs (Initial Coin Offerings ou ofertas iniciais de moedas) no ano de 2017. 

A respeito dos protocolos DeFi,o Aave é um protocolo descentralizado e open source e sem custódia que possibilita a criação de mercados financeiros. Os usuários do protocolo podem ganhar juros sobre depósitos e pedir empréstimos de ativos na plataforma. Já o Ren é um protocolo aberto que permite liquidez entre blockchains, em especial os blockchains do Bitcoin e Ethereum, para aplicações descentralizadas.

Sobre as novas integrações, Kosala Hemachandra, founder da MyEtherWallet, afirma à mídia que: “MEWconnect ajuda usuários a continuarem sendo um ponto de conexão para a Ethereum e apoia os objetivos da comunidade de um ecossistema descentralizado, grande e acessível. Estamos empolgados em ter Aave e Ren integrados, bem como outras dapps, permitindo que usuários vivenciem os recursos que MEW tem a oferecer.”

Fontes: MoneyTimes | Cointelegraph | Decrypt

Entre para o mundo das criptomoedas com a AmericansBitcoin! Negocie Bitcoins com o melhor preço na plataforma mais inovadora do Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *