6 dicas para não cair em golpes de criptomoedas

Tempo de leitura: 3 minutos

Os lucros exorbitantes, alcançados por alguns investidores no mercado de criptomoedas, vem aumentando o interesse das pessoas, com isso também cresce o número de criminosos e golpes. 

É fundamental conhecer bem os fundamentos dos criptoativos, ter consciência sobre as suas decisões, além de realizar pesquisas sobre o mercado são as melhores atitudes para evitar erros por precipitação, principalmente no que diz respeito às criptomoedas. 

Aqui listamos 6 dicas fundamentais para não cair em golpes de criptomoedas.

1 – Fuja das promessas de ganho

Em nenhum investimento é possível ter garantias de rentabilidades. Existem moedas que apresentam respaldos de estabilidade, como é o caso do Bitcoin e da Ethereum, porém até elas possuem períodos de flutuação intensa. 

Entenda que o mercado financeiro não é uma loteria, na qual você joga e torcer para acertar, existem riscos, porém estes podem ser minimizados. Os produtos que oferecem retorno certo, devem ser bem estudados antes de realizar qualquer tipo de investimento, geralmente, o retorno não vem como prometido.

2 – Desconfie dos lucros exorbitantes

Muitas pessoas conseguem tornar-se bilionários com criptomoedas, mas é preciso ter cautela, anúncios com promessas de lucros exorbitantes devem acender um alerta para você.

Os ativos digitais variam livremente de acordo com a oferta e demanda, não existem mecanismos que dê previsibilidade, sendo suscetível a diversos fatores. Na mesma velocidade que as pessoas ganham, também podem perder.

3 – Fique atento as pirâmides financeiras

As pirâmides financeiras é um sistema de operações que depende de novos integrantes para sustentar os ganhos dos primeiros, por isso o marketing para captação de pessoas é tão forte nesses sistemas.

Porém em algum momento esse ciclo quebra, uma vez que a volumetria de novos integrantes cai, tornando o sistema insustentável. É nesse momento que os operadores literalmente “somem”, deixando os clientes com prejuízos enormes. Esse é um problema comum com criptoativos, por isso é preciso estar atento a esse tipo de esquema.

4 – Procure informações sobre os operadores

Apesar das criptomoedas serem descentralizadas, as empresas responsáveis por esses investimentos precisam seguir as regulamentações estabelecidas pelo país. No Brasil a Associação Brasileira de Criptoeconomia (ABCripto) é a responsável pela autorregulação.

As empresas associadas devem seguir as regras, prevendo lavagem de dinheiro e atividades suspeitas. Verifique se a empresa que você está pensando em utilizar para realização dos seus investimentos está associada a ABCripto.

5 – Atenção ao Phishing

Phishing é um termo em inglês que significa “pescar dados”, ele está relacionado a golpistas que utilizam sites falsos para simular ser de operadoras financeiras bem conceituadas. Se você cair no golpe, os criminosos terão acesso ao seu dinheiro e dados pessoais.

Esses sites e aplicativos falsos costumam ter um design “tosco”, com poucos dados, além de ofertas incríveis. Por isso é importante checar tudo antes de fornecer seus dados, ou realizar pagamentos.

6 – Desconfie de superestruturas de criptografia

Se sites e aplicativos com pouca funcionalidade devem soar um alarme para você, aqueles que apresentam super sistemas também são arriscados. Esse é um golpe muito comum, a empresa fornece apenas informações complexas, que dificultam o entendimento do cliente.

 Basta apenas ter em mente que o mundo inteiro está de um sistema capaz de otimizar os ganhos relacionada às criptomoedas, dificilmente uma empresa comum apareça de forma isolada com essa informação sem grandes alardes pelo mercado.

Existem muitos golpes de criptomoedas, porém com os cuidados certos é possível se proteger. A regra básica sempre será a informação, conheça o mercado e os seus investimentos, assim será mais fácil fugir das fraudes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *