O Bitcoin não resolve nenhum problema que o dinheiro comum não resolva e outros mitos sobre as criptomoedas

Tempo de leitura: 4 minutos

Você já ouviu falar dos mitos sobre as criptomoedas? Será que você já foi influenciado sem saber por um desses mitos?

Apesar de ativos digitais representarem um mercado relativamente novo, a intensidade nas transações com criptomoedas e NFTs vem atingindo níveis significativos, apesar de nem todos os investidores depositarem 100% da sua confiança na segurança envolvida no processo.

Por isso é comum o surgimento de muitos mitos envolvendo as criptomoedas, ao mesmo tempo em que várias informações verídicas são propagadas como falsas, o que acaba por confundir o público interessado no mercado.

Para facilitar, listamos aqui os principais mitos a respeito do universo cripto, confira a seguir!

Todos os players que trabalham neste setor são anônimos e isso representa insegurança

MITO: Já existem opções no mercado que não são anônimas, sendo inclusive renomadas. Apesar de grandes marcas financeiras já atuarem nessa área, sempre é importante realizar uma vasta pesquisa antes de qualquer investimento.

Os ativos digitais sempre se valorizam

MITO: Cada ativo possui suas particularidades, por isso é essencial avaliar cada caso de forma individual. Escolher ativos de confiança, que não se escondam atrás do anonimato, que contemplem diferentes benefícios, interligados a programas de fidelidade, bancos digitais e exchanges é fundamental para ter uma boa experiência no mercado.

Só consigo comprar criptomoedas com dinheiro

MITO: O mercado de criptomoedas está interligado a diferentes sistemas. Algumas redes ou serviços possibilitam que os consumidores acumulem pontos de fidelidade ao adquirir serviços e produtos. Esses pontos podem ser trocados por ativos digitais.

Só consigo gastar as criptomoedas adquirindo outras criptomoedas

MITO: Esse mito é amplamente difundido, porém é importante ressaltar que muitos estabelecimentos já aceitam as criptomoedas. Muitos varejistas e comerciantes já estão integrados ao mercado cripto, tendo como intuito atrair e reter mais clientes.

Criptomoedas não tem validade como dinheiro real

MITO: O Fundo Monetário Internacional (FMI) define dinheiro como um bem valioso que pode ser armazenado e usado como unidade de conta ou troca aceito em grande escala e que possa ser traduzido em valores. Seguindo essa definição podemos sim enquadrar as criptomoedas como dinheiro.

Criptomoedas não podem ser rastreadas

MITO: Esse é com certeza um dos mitos sobre as criptomoedas mais recorrentes. O objetivo das criptomoedas serem descentralizadas é descentralizar o sistema financeiro impostos por grandes bancos e instituições financeiras. A intenção não é criar uma forma de realizar transações ilícitas, mas viabilizar uma rede com segurança perante a troca de valores por produtos e serviços.

É importante ressaltar que o conceito das blockchains, em que cada bloco de operação em uma moeda digital contém as informações do bloco anterior, mostra como as transações com criptomoedas podem ser rastreadas.

mitos sobre as criptomoedas

Criptomoedas podem desaparecer de repente

MITO: Essa informação é tão improvável quanto acreditar que o dinheiro do seu banco pode sumir do nada. De fato no passado alguns ativos digitais sumiram porém foram casos elaborados por pessoas mal intencionadas, que abusam da ingenuidade de outras pessoas.

Por isso sempre ressaltamos a importância em realizar uma ampla pesquisa sobre a moeda e seus desenvolvedores antes de realizar qualquer investimento.

A alta volatilidade impede o uso das criptomoedas

MITO: A alta volatilidade apresentada por algumas moedas digitais está, em sua maioria, associada ao estágio atual da tecnologia e do mercado, porém isso representa muito mais potenciais retornos que uma impossibilidade de uso.

O gasto energético causa potenciais impactos no meio ambiente

MITO: Apesar da manutenção de uma rede exigir um consumo alto de energia, a maioria utiliza fontes de energia limpa. Os mineradores buscam sempre uma energia mais barata, sendo estas de fontes renováveis ou excedentes, ou seja, essa energia seria desperdiçada caso não fosse utilizada.

As criptomoedas são facilmente hackeadas

MITO: A grande maioria dos casos de ataques hackers ou perdas de ativos digitais foram causados por erros humanos. As redes das blockchains nunca foram comprometidas e a chance de uma pessoa descobrir a sua chave privada é quase nula.

As criptomoedas são utilizadas para atividades ilícitas

MITO: Dentre os principais mitos sobre as criptomoedas, muitas pessoas julgam a natureza descentralizada das moedas digitais como uma forma de realizar atividades ilícitas, porém segundo o relatório da Chainalysis, uma das maiores empresas de análise de blockchains, menos de 2% das transações utilizando criptomoedas são utilizadas para transações ilícitas.

Para que você possa comparar, de 3 a 5% do PIB do PIB mundial está relacionado a atividades ilícitas por ano. As blockchains são públicas e rastreáveis, todas as transações são facilmente verificáveis.

Com o apoio da tecnologia, as informações são facilmente disseminadas, sejam elas verdadeiras ou não. Por isso, as pesquisas e análises são de suma importância para quem deseja entrar nesse mercado está cada vez mais presente no nosso dia a dia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *